Os escritores que aceleram neste blog

Minha foto
acompanho a F1 desde 1994. por vezes o estranhamento choca e traz interesse. gosto de história desde 2002. bons professores trazem a tona paixões que pareciam subexistir. sou Ridson de Araújo, tenho 21 anos, faço História na Universidade Federal do Ceará.

A Redação

Este blog foi criado no intuito de divulgar, publicizar opiniões caladas e pesquisas que em geral não tem o devido espaço que (acreditamos) merecem. A iniciativa foi de Ridson de Araújo, e agora contará com colaboradores. Cada pessoa que se encontra aqui na redação tem o potencial como várias outras pessoas que tem/não tem internet, de pensar e agir. Duas paixões e duas escolhas: História(s) e Velocidade.

O blog, na verdade: é de todos.

StatCounter


View My Stats

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Análises de duplas de 2009: Sebastian Vettel e Mark Webber


Bom galera, dando de novo o ar da graça no blog após a última semana de aulas do semestre, e com a mão direita enfaixada, o que dificulta minha digitação ( e sem dúvida coloca meu sonho de pilotar kart adiado para janeiro) por causa de um dedo quebrado.

Inaugurando aqui no blog uma nova sessão, divertida até, de análise das duplas de 2009. Assim, fazemos uma espécie de retrospectiva do ano, refletimos o que aconteceu e julgamos se os números falam por si sós. Não quero aqui fazer uma análise acurada, e vcs tem todo o direito de achar uma bosta, e discordar... è só um convite ao pensamento. Dito isso, vamos ao que interessa: quem foi melhor? quem impressionou mais? quem evoluiu mais?

Vettel chegou na Red Bull como a mais jovem e prodigiosa promessa da categoria para o futuro. O homem com duas missões claras: levar o time às primeiras vitórias, haja vista que o projetista-chefe é Adrian Newey e com o novo regulamento e um investimento maior na equipe certamente o time teria mais chances; e deixar de ser uma promessa e se tornr uma prática, ma realidade. A primeira ele conseguiu, já na terceira corrida, China, e o fez mais três vezes na temporada, fora outras oportunidades,como na Turquia. A segunda em parte, muito mais pela promessa ser grande demais para ser cumprida em um ano competitivo apenas...

Vettel fez um grande ano, mas se provou errante, principalmente quando larga de trás... fora a lambança inicial na Austrália, que lhe renderia mais 6 pontos no mínimo ( que para mim foi mais erro de Kubica) erros cruciais na Malásia, Turquia, e as hesitadas em ultrapassagens, como na Espanha, Bahrein, etc o renderam o mau rótulo de "imbatível e impecável apenas quando vence de ponta a ponta". Ainda sim, foi vítima do mau motor da Renault deste ano e do mau rendimento do carro em pistas quentes.

Webber teve a grande oportunidade da carreira, e se pensarmos bem, não a disperdiçou tanto. Antes leão de treinos, este ano foi o come-quieto de maior destaque e alçou até a vice-liderança até cair para o quato lugar após 5 corridas sem pontuar na reta decisiva, até conseguir sua 2ª vitória do ano e da carreira, no Brasil e o 2º lugar suado com a disputa (legal, divertida )no fim com Button. Webber conseguiu sua emocionante primeira vitória (o único debutante em vitórias da temporada) e mais respeito, embora dificilmente esteja novamente disputando o título de novo. Um ano variado, mas no lucro para Webber, se pesadas as medidas... como a grave contusão pela queda de bicicleta (ou atropelameno, como preferirem) continua errático, mas bem menos que antes.

Agora, e um contra o outro? os números mostram que Webber, embora tenha vencido em resultados de corrida ( 9 a 8), foi massacrado na qualificação (ponto forte de Vettel), por 14 a 3, 10 a 7 em voltas mais rápidas em corrida e derrotado no campeonato nos pontos, tendo 69.5 pontos e um 4º lugar, contra 84 de Vettel, que se aproveitou dos azares de Barrichello nas duas corridas finais para lhe tirar o vice.

Eles mal disputaram na pista... foram dois companheiros amigáveis...Vettel com o talento mais latente e mais sensibilidade para acertar o carro, e Webber sendo um come-quieto e contando com maior entrosamento com a equipe por conta dos vários anos de Red Bull. Sem dúvida o clima interno da Red Bull foi o mais amigável da F1 em 2009; Ambos sofreram com a confiabilidade e com Kubica ( Webber na Itália), mas Vettel soube melhor aproveitar as chances, partindo da classificação. A Webber resta entender por que inverteu suas características neste ano... será a perna machucada?

Vettel, mesmo sendo a íris da equipe agora, saindo fortalecido para 2010 com o vice e por tudo que fez pelo time, nâo terá refresco de Webber ano que vem, por um simples fato: o australiano ganhou confiança que nunca antes teve. Posso estar sendo bonzinho, mas para finalizar, lembro aqui da Turquia, em que Vettel perdeu para Webber na estratégia, chorou, andou muito rápido, mais do que Webber, mostrou que poderia arriscar passar (não sei se passaria, afinal não chovia rsrs), mas a equipe disse não e tchau! Vettel vai ter que melhorar se quer de antemão ser 1º piloto.

Até a próxima!

Um comentário:

  1. minha opniao é que vai dar uma boa briga entre esses dois ai ! vamos aguardar!

    ResponderExcluir

Este é o momento mais gratificante do blog: a sua opinião e visita; não serão permitidas ofensas pessoais nem preconceitos tolos