Os escritores que aceleram neste blog

Minha foto
acompanho a F1 desde 1994. por vezes o estranhamento choca e traz interesse. gosto de história desde 2002. bons professores trazem a tona paixões que pareciam subexistir. sou Ridson de Araújo, tenho 21 anos, faço História na Universidade Federal do Ceará.

A Redação

Este blog foi criado no intuito de divulgar, publicizar opiniões caladas e pesquisas que em geral não tem o devido espaço que (acreditamos) merecem. A iniciativa foi de Ridson de Araújo, e agora contará com colaboradores. Cada pessoa que se encontra aqui na redação tem o potencial como várias outras pessoas que tem/não tem internet, de pensar e agir. Duas paixões e duas escolhas: História(s) e Velocidade.

O blog, na verdade: é de todos.

StatCounter


View My Stats

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Ah é: as notas do Gp da Itália

Eu aqui apresentarei e reafirmarei a avaliação feita pelo Jobson Mendes, grande colaborador e co-piloto aqui do Historias e Velocidade.
Notas do GP da Itália.


1º) Rubens Barrichello (BRA/Brawn). 10. Grande corrida e merecida vitória, assumiu o risco de correr com o câmbio defeituoso, e provou que valeu a pena. Ajudou a si mesmo e a equipe como um todo. Agora, é o franco atirador!
2º) Jenson Button (ENG/Brawn). 10. Assim como o companheiro, também teve um desempenho soberbo em Monza. Livrou-se de Heikki no inicio e acompanhou Rubens de perto, está quase lá!
3º) Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari). 9,5. Fez as honras da casa, quarto pódio seguido. Definitivamente, demonstra ser o piloto que melhor faz uso do KERS. Cadê, o Alonso não ia ser anunciado no lugar dele em Monza?
4º) Adrian Sutil (GER/Force India). 8. Pilotou um verdadeiro foguete, autor da melhor volta. Finalmente pontuou pela equipe indiana. Mas, continuou com suas trapalhadas, quase acerta um belo strike nos pobres mecânicos. Felizmente todos se salvaram. E dessa vez, não jogou fora sua ótima prova.
5º) Fernando Alonso (SPA/Renault). 7. Alheio as politicagens da equipe francesa. Novamente munido com o KERS, fez um grande trabalho dentro das possibilidades.
6º) Heikki Kovalainen (FIN/McLaren). 5. Adora um sexto lugar. Enquanto Hamilton faz acontecer, Kovalainen espera acontecer. Mesmo marcando pontos não demonstra atitude competitiva.
7º) Nick Heidfeld (GER/BMW). 7. Fez uma boa corrida, reutilizando um motor do começo da temporada. Apenas uma parada, finalizou nos pontos.
8º) Sebastian Vettel (GER/Red Bull). 4. Não se encontrou em Monza. Será que sentiu falta da chuva?
9º) Giancarlo Fisichella (ITA/Ferrari). 4. Discretíssimo na sua estréia pela Ferrari. Esperava mais!
10º) Kazuki Nakajima (JPN/Williams). 5. Até que foi bem, um dos protagonistas da disputa mais divertida do dia. Nakajima-San duelou contra as duas Toyotas!
11º) Timo Glock (GER/Toyota) 5. Sem grandes aspirações na prova, batalhou animadamente contra Trulli e Nakajima pela décima posição.
12º) Lewis Hamilton. 6. Era o pole e favorito a vitória, mas não conseguiu abrir vantagem suficiente para os carros da Brawn. Na última volta, no melhor estilo a La Montoya, andando no limite, perdeu o controle do carro e jogou fora o pódio. Pelo menos arriscou!
13º) Sebastien Buemi (SWI/Toro Rosso). 4. Sua corrida se resumiu a uma bela ultrapassagem sobre o Fisichella.
14º) Jarno Trulli (ITA/Toyota). 5. Faz suas últimas corridas pela Toyota. Em determinado momento da corrida, resolveu chutar o balde, e partiu para cima do Glock e do Nakajima. Deixou a apatia de lado, passeou na brita. Foi divertido, realmente.
15º) Romain Grosjean (FRA/Renault). 3. Fez um bom treino. Na largada se estranhou com alguém, perdeu tempo. Dessa vez conseguiu completar a prova.
16º) Nico Rosberg (GER/Williams), 3. Teve um pneu furado, após a largada. Fez uma parada extra. Enfim, muitas infelicidades na Itália.
17º) Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India) 7. Ótimo retorno, andou forte durante todo final de semana. Adaptou-se muito bem ao carro, e o circuito ajudou. Marcaria pontos, mas teve que abandonar pela quebra do câmbio.
18º) Jaime Alguersuari (SPA/Toro Rosso). 2. Largou dos boxes, vinha atrás do companheiro quando foi vitimado câmbio.
19º) Robert Kubica (POL/BMW). 2. Estranhou-se com Webber, danificou a asa dianteira, foi chamado pela direção de prova para troca do mesmo.
20º) Mark Webber (AUS/Red Bull). 2. Primeiro a abandonar a corrida após o toque com Kubica. Maior prejudicado na etapa, praticamente deu adeus às aspirações de lutar pelo título.
Por Jobson Mendes

Acredito que a minha única mudança seja à nota de Giancarlo Fisichella. Eu daria um 5, pela coragem com que vem enfrentando o novo desafio de correr pela Ferrari, tendo um Force India rendendo tão bem. Mas vale lembrar que Vitantonio Liuzzi correu com o carro dele, e o problema foi do carro, e não do bom Liuzzi num ótimo fim de semana. Ele não pareceu ter forçado o carro para além das capacidades, o que teria dado uma decepção escabrosa para Fisichella.
Por Ridson de Araújo
Avaliação do campeonato:
Na briga do campeonato, a disputa favorecerá à Brawn, pelos dois carros estarem em franca disputa um contra o outro, e em circuitos que em sua maioria beneficiarão o carro. Sinceramente, embora torça por Rubinho, creio que esse ele só leva se acontecer uma trouxidade enorme com Button como ocorreu com Hamilton em 2007. E Button parece ter se tocado do real risco que sofria, e agora corre sem querer se arriscar. Para Rubens, que não tem nada a perder, o importante é lutar com tudo, errar o menos possível e mostrar que tem plenas condições de dirigir um bom carro ano que vem. E vencer o máximo de corridas que der. Acho que ele ainda vence mais uma dessas. Duas sendo otimista.
A Brawn GP é que tem mais é que deixar os dois disputarem mesmo, pq isso será bom para o campeonato e para conseguir um inédito 1-2 para uma equipe iniciante. Assim, ela garante todos os melhores patrocínios para ano que vem e o motor Mercedes. E uma boa briga de campeonato para a F1, saudável e crucial num momento tão sujo e escabroso que a categoria vive neste ano.
Comentem, avaliem as notas do Jobson e meus subsequentes comentários!

4 comentários:

  1. Notas são sempre polêmicas.
    Quanto ao campeonato, com a saída da Red Bull do páreo, os dois pilotos podem duelar livremente. A missão do Barrichello é muito complicada, porém, tudo pode mudar numa corrida.
    Tomara que a equipe consiga patrocínios mesmo para o ano que vem, porque todas as equipes que surgiram como foguete, fecham logo em seguida.

    ResponderExcluir
  2. Ridson

    Das notas acima,vou discordar do 5 para Kovalainen,que conseguiu a proeza de partir em quarto e terminar em sexto com uma parada,merecia atravesar um corredor polones com 50 pessoas de cada lado com cinta na mão,para ver se aprende.

    E também do Visconde de Sabugosa,que pilota a outra Renault,ele tá conseguindo ser pior que Nelsinho!,merecia um 0,5 e olha lá.

    Barrichello e Button seguiram o script a risca e fizeram muito bem,uma vitória tática,faz parte do esporte.


    abraço

    ResponderExcluir
  3. Ashuashua!!! Cadê o Alonso???
    Posso ser suspeita pra falar, mais eu ñ vejo motivo pra tirar o Kimi da Ferrari agora...
    Tbem se a Ferrari demitir ele, parece q a McLaren já tá "de olho!"
    Quanto ao campeonato, temos que torcer pro Rubinho, afinal, já torcemos por ele em momentos tão "impossíveis!"

    ResponderExcluir
  4. Visconde de Sabugosa, ashuashua!!!

    ResponderExcluir

Este é o momento mais gratificante do blog: a sua opinião e visita; não serão permitidas ofensas pessoais nem preconceitos tolos